Sair correndo por ai…

wallpaper__lets_runaway_by_analaurasam-d6bzvae

Você já sentiu que errou, errou no curso da faculdade, nos amores, no trabalho, no café? Sentir a sensação de não saber qual é o seu lugar no mundo, de não saber o que fazer, de olhar para frente e ver a projeção do mesmo de sempre, se repetindo em um ciclo vicioso de inércia misturada com mesmice que enjoa e desencoraja!

Chega um momento na vida em que você analisa o que fez, faz um balanço de onde está e se pergunta para onde vai sem ter a mínima ideia da resposta, e isso te apavora, dá frio na barriga e uma vontade de correr, mas não correr das pessoas ou das responsabilidades, de longe é isso, mas sim correr em busca de uma vida em que se vive, e não apenas sobrevive-se. Correr para descobrir o mundo, ver o que nunca se viu, conhecer culturas, pessoas, comidas e lugares diferentes.

Se surpreender com o novo, e aprender com ele. Acordar e ter a certeza que a vida não é só isso, que existe aquele ”mais”, aquele ”plus” que nos motiva a continuar em frente. Querer mais é natural, só que apenas querer não é o suficiente, tem que levantar e fazer acontecer, o pior é quando não sabemos como vamos fazer isso, como vamos nos libertar.

 

 

 

 

Voltei pessoal!

Oi gurias, depois de uma longa pausa por aqui, voltei, agora para ficar 🙂

Viajei, fui para Campo Grande curtir com a família, e depois para a praia aqui no paraná mesmo, Guaratuba com os amigos, foi muito bom, descansei, relaxei me desconectei por completo, foi ótimo para a cabeça sabe, estava totalmente sobrecarregada, estressada, zangada… todos esses ”adas” 😀 … Ai tu me pergunta, e a dieta, e eu te respondo, toquei o foda-se! hahhahahahahaha

A sério, me desencanei também com isso, e te afirmo que sim teve seu preço, engordei fato, mas estou preocupada??? NÃO! sei que vou recuperar logo logo a forma (obs: eu não me pesei ainda e nem quero….), é só eu focar novamente. Comer certo e com consciência já faz parte de mim, mas antes que eu fique neurótica, calculando calorias de tudo que eu comia e indo para a acadêmia que nem um louca (isso é tema para outro post ok), resolvi soltar as rédias, viver um pouco sem tanto limite, pelo menos na parte gastronômica da coisa… rsrs

Temos que nos policiar, nos cuidar e aprender a nos conhecer, para que a coisa não saia de controle entende, para que uma inspiração boa acabe virando uma obsessão um distúrbio ou algo do tipo!

E bora lá galera que o ano acabou de começar para mim 😉

beijos

#ferias #descanso #viagem #alegria

 

A beleza natural nas fotos sem retoques

Oi gurias e guris, tudo bem?

Nossa, eu dei uma sumida mais ainda estou aqui! É que final de ano eu não tenho tempo nem de me coçar… hahahha mas não poderia deixar de partilhar (logo em uma segunda-feira) a história inspiradora da modelo inglesa Iskra Lawrencel, de 25 anos, que está bombando na internet, com quase 400 mil seguidores e sabe porque? Ela resolveu por assumir seu corpo sem se preocupar com os padrões de beleza e está ganhando a simpatia do público por isso, postando mensagens de autoestima em relação ao corpo 🙂

Ela posta fotos ssensuais sem usar retoques e contou em entrevista ao jornal Daily Mail “Eu cheguei a conclusão por volta dos 18 anos que em vez de tentar mudar meu corpo eu deveria tentar mudar a indústria. Quando assinei com minhas agências atuais, ele me ajudaram a entender que podia fazer sucesso como modelo. Então foquei em ser a melhor versão de mim mesma”, SHOW né gatas?!

Frases como ” Esse é o meu corpo”, “Não retoquei minhas estrias ou celulites ou as minhas gordurinhas”e “Não se compare com os outros.Use seu poder para ser insubstituível”, intitulam suas postagens.

Fique com um pouquinho da beleza natural, sem máscaras. E fica a dica, AME-SE 😉

Iskra-Lawrencel1-801x1024

 

Iskra-Lawrencel2

 

Iskra-Lawrencel3-745x1024

 

Iskra-Lawrencel4

 

Iskra-Lawrencel5

#feminismo!

12191805_1123710187639234_5360229704871979196_n

Vejo muita, mas muita gente e até mesmo próprias mulheres, recriminarem os movimentos feministas, mas seja você quem for, sinta ou, se pelo menos não puder sentir, estude, procure fontes fidedignas e entenda, que na busca pelos direitos das mulheres meu amigo (a) ‘’o buraco’’ é bem mais em baixo!

Não estou defendendo nem recriminando o movimento, mas não interessa o que digam, contra fatos não há argumentos, vivemos em sociedades machistas e ponto (.), com graus diferentes de machismo, mas estão ai, oprimindo, violentando, ofendendo, estuprando, pela lei do mais forte (fisicamente eu digo).

Graças aos céus, nunca sofri um estupro, mas perdi as contas de quantas vezes homens mexeram comigo na rua (eu de calça jeans, camiseta e tênis :/ ), ou pensei 3 vezes antes de colocar determinada roupa, por achar que EU pareceria vulgar, saia então… até hoje para mim é um tabu, pronto confesso!

Lembro como se fosse hoje, que meu querido pai queria entrar na minha sala de aula (eu estava na 4ª série do fundamental em) me pegar pelo braço e me dar uma bronca (no melhor estilo, para todo mundo ver…), porque eu estava usando BATOM VERMELHO junto com mais algumas coleguinhas (GRAVISSIMA transgressão, diga-se de passagem né?!), sorte que a diretora da escola, humanamente sábia e dentro de uma sanidade mental, não deixou, apenas me chamou na diretoria e de forma muito carinhosa e humana me pediu para que eu não usasse mais batom vermelho, lembro das palavras dela como se fossem hoje, muito cuidadosa por sinal, ‘’para mim não tem problema nenhum querida, mas seu pai não gosta, por isso eu peço para você não usar mais batom, para que ele não fique bravo e nem brigue com você’’ claro, ela estava com medo que eu apanhasse… e hoje percebo que ela tentou abordar  fato da forma mais cuidadosa e natural possível, para que eu não ficasse com algum possível trauma pela situação, como não fiquei graças a ela!

Sobre o fato, só me restou pena (dele) OBS: E hoje eu uso batom até amarelo se deixarem, deu para perceber que continuo uma transgressora não… hehhee… Enfim eu tive a sorte de ter tido uma pessoa humana e coerente para intermediar o meu caso, mas vamos convir que não é o que acontece na maioria das vezes!

Relatei isso, porque por mais que seja um fato simples, sem muita gravidade (e olhem os perigos escondidos nos fatos ”sem muita gravidade”) , quero afirmar que a violência, seja ela emocional, sexual, física, psicológica, moral, ela também pode ser intrafamiliar, acontece dentro de casa, com pequenas repressões, colocando nós mulheres, nos nossos ‘’devidos lugares’’ (obedientes, submissas e amedrontadas).

Claro esse foi só um exemplo de opressão que EU, Ana Carla vivi, mas imagine outros casos, outras violências que mulheres do mundo inteiro sofrem everyday, em nome da moral, do politicamente e religiosamente correto????

Então posso dizer que estou bem contente com essa enxurrada de vozes femininas (tas) que estou percebendo se incitarem diante do explosão dos meios de comunicação (ganhando voz!), estou contente pelo fato de existirem as intituladas ‘’feministas’’ e de estarem soltando o verbo e encorajando outras mulheres para que façam o mesmo. Agora você me pergunta; Ana, você é uma feminista? e eu simplesmente respondo que não, eu não sou feminista, quero apenas ser feminina sem ser ofendida por isso.

Ahhh quanto ao filme abaixo, sim acho que eu vou assistir 😉

 ”Teve um dia em que mulheres lutaram para ter direito ao voto, hoje lutamos para sermos donas dos nossos próprios corpos”

 

 

Fonte imagem: HuffPost Brasil

 

 

#Saudades – Parte 1

tumblr_l8lk66SpZS1qdcy2eo1_500

Saudades de ser criança, das tardes de sol, do cheiro da merenda e do pão saído do forno que vinha da casa do vizinho.

Saudades da inocência, da falta de jeito, das folhas de fichário, dos papéis de carta e das aulas de Ed. Física.

Saudades das tardes de chuva, da brincadeira com a boneca, de brincar de ser grande, sem ter noção do que é crescer.

Ahhhh saudades da escola, do recreio, das brincadeiras de pega pega, de cair se esfolar, mas machucar só por fora…

Saudades dos pensamentos mansos, de um tempo de paz, da novela das seis, do café da tarde do pão caseiro da mãe.

Saudades daqueles que não posso mais ver, do carinho despretensioso, do cheiro de café com leite ninho.

Saudades da irresponsabilidade, da brincadeira na rua, do caçador na escola e da casinha da Barbie em casa.

Saudades dos sorvetes (sem culpa), dos domingos a tarde, dos cachorros que tive, das amizades que me moldaram e dos exemplos que me deram.

Saudades das revistas teens, dos cadernos de confidências, do primeiro beijo minuciosamente descrito nas silenciosas páginas de um diário.

Saudades das pequenas felicidades…

 

By: Ana Carla Barros (vulgo eu…)

Alimentos e km necessários para queimá-los ;)

Oi bonitos e bonitas, tudo bem?

E ai, como foi o final de semana? Comeram certinho ou jacaram infinitamente?! hahahahah

Eu confesso que dei uma jacadinha básica, mas e ai vem a consciência né… eu (infelizmente) e de maneira super errada… fico na neura, ”puts, comi, e agora quanto eu vou ter que malhar para queimar os bolinhos ingeridos????” hahahahhaha

Porém para nos ajudar a fan page Workout Sports fez uma lista com imagens de comidas, que mostram o quanto se deve correr, em quilômetros, para liberar essas calorias. Confere ai  😉

11215873_987196091342953_1076358514884668255_n

 

12049691_987196101342952_349992535203372629_n

 

12118591_987196094676286_8249277000019081905_n

 

12189989_987196111342951_4846496793202563885_n (1)

 

12189989_987196111342951_4846496793202563885_n

 

12193382_987196098009619_7476226452232234318_n

 

12193382_987196104676285_4775493229796760741_n

 

Você acredita nas capas de revista?

Vídeo-Edição-Modelo

A fotógrafa Elizabeth Moss, da Rare Digital Art, produziu um vídeo que embora tenha levado 6 horas para ficar pronto, tem apenas 90 segundos, mas revela todos os retoques feitos para tornar as modelos mais bonitas, porém bem fora de realidade do que realmente são!

Elizabeth já trabalhou para revistas famosas como Vogue, Elle GQ e Vanity Fair.

Vale a pena ver 😉